• André Boaratti

Mapa mental: método de estudo e memorização

Tem dificuldade em memorizar conteúdos e não sabe como resolver esse problema? Nesse artigo apresento um método de estudo comprovadamente eficaz: o mapa mental ou conceitual.


Se você está estudando um texto, uma obra, assistindo um vídeo, esse método auxilia na compreensão das ideias principais, por meio de esquemas gráficos organizados de acordo como o modo o nosso cérebro funciona. Daí a sua eficácia! Se você já conhece e faz uso dessa ferramenta, então já sabe que ela é fundamental para quem não quer perder tempo com fichamentos e anotações extensas! Uma das principais funções dos mapas mentais, além de

ajudar na memorização, é o ganho de tempo!



1- O que é mapa mental?


Trata-se de um esquema gráfico, elaborado a partir do tema central e expandido pelas ideias chave que a compõe. Não há consenso sobre quem elaborou esse método, mas há dois autores que se destacam: Tony Buzan e Joseph Novak.


É um método em que a sua eficácia para memorizar conteúdos mais complexos já é largamente comprovado, inclusive por pedagogos, psicólogos e pesquisadores da área da educação, pois, como mencionado no início do texto, ele segue o modo como o cérebro é estruturado a partir do seu funcionamento pela transmissão das ideias e informações pelas sinapses.


Veja abaixo um exemplo clássico de mapa mental:




2- Como fazer um mapa mental?


No início pode parecer um pouco estranho para quem ainda não está acostumado, mas logo fica bem simples o uso dessa ferramenta, e automaticamente você já começa a pensar pelo modelo de um mapa mental! A ideia é essa!


Para elaborar um mapa mental, primeiro, você coloca no centro da folha ou do espaço, o tema central. Depois de já ter lido e estudado sobre o assunto, ou seja, você já tem uma ideia geral, disponibilize as palavras chave que compõem o tema central. A partir dessas palavras ligadas ao tema, você vai desmembrando-as cada vez mais.


Lembre-se: não utilize textos ou frases, para facilitar a memorização o ideal é você utilizar apenas uma ou poucas palavras.


Para ajudar ainda mais na memorização, é interessante utilizar cores diferentes para cada sub tópico ligado ao tema central. É muito comum também o uso de pequenos desenhos que rementem cada ideia. Vai de cada um!


Conecte o tema aos sub tópicos por meio de setas, construindo um sistema de hierarquização de ideias, partindo da ideia principal e geral, para as mais específicas.


O ideal é você montar o mapa conceitual depois de já ter tido algum contato com o conteúdo, pois, ele é um método bastante interessante para revisão. Por exemplo: depois que você leu uma obra e fichou-a, faça um mapa mental desse fichamento.



3- Aplicação do mapa mental


Esse método é bastante útil para o desenvolvimento de:


· Revisão de conteúdo

· Esquematização de planejamentos

· Organizar objetivos e metas

· Planejamento de reuniões, aulas, etc

· Roteiro para apresentações


Falando em apresentações, ele é um ótimo método para você utilizar como roteiro para organizar a apresentação do seu TCC 😉


Você pode muito bem colocar o tema do seu TCC e ir desmembrando-o através dos capítulos ou dos sub tópicos que você desenvolveu na sua pesquisa! Interessante, não? Ao invés de você apresentar slides, como a maioria faz, ao invés disso, você pode apresentar o seu TCC à banca por meio de um mapa mental! Sem dúvida a banca irá olhar para o seu trabalho com outros olhos, não tenha dúvida disso!


Achou esse artigo interessante? Se estiver afim de trocar uma ideia comigo, mande-me um e-mail ou me siga nas redes sociais:


professorobaratti@gmail.com

@andreboaratti

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now